10 outubro 2006

E no fim, resta o vazio

Infelizmente as notícias que trago são as piores.
Nem sequer tive oportunidade de fazer a beta, no sábado menstruei.
Que tristeza, que desânimo, que desilusão... E o pior é sentir a tristeza, daqueles que nos são mais próximos e que também investiram, neste tratamento. Ver a decepção nos olhos da minha mãe, deixou-me de rastos.
Estamos a chorar a perda de um filho que nunca existiu!
Acho que que vou levar algum tempo para me acalmar e para aceitar, mais este percalço.

Obrigado pelo vosso apoio.

Beijinhos grandes

04 outubro 2006

A ESPERA CONTINUA

Depois de uma semana e meia de ausência pude finalmente vir à Internet, a casa dos meus sogros.
Já estava cheiinha de saudades de vos visitar. Infelizmente a blogosfera tem trazido notícias que nos entristecem a todas e deixam uma nuvem cinzenta de tristeza, a pairar. Um grande beijinho Tica, espero que arranjes coragem e alento para enfrentar, de novo, esta luta.


As novidades por estes lados também não são muitas, pelo contrário. Desde o dia da transferência que não saía de casa e ontem à noite, saí pela primeira vez para ir tomar um carioca de limão, ao café, do outro lado da estrada.
Confesso que, com o aproximar do dia da beta, me tenho sentido cada vez mais ansiosa! É o meu pior defeito, um sentimento de que não me consigo livrar! Procuro ocupar a mente para não divagar pelo meu mundo de ansiedades, mas nesta altura, começa a ser muito difícil concentrar-me em alguma outra coisa!
Às vezes deixo-me levar pela esperança e quase acredito que vai ser positivo. Outras vezes, procuro refrear esses ímpetos de esperança e forço-me a manter os pés colados ao chão. É um conflito de sentimentos que se torna difícil de gerir. Estes conflitos todos agravam-se porque tenho estado quase sempre sozinha. A minha irmã veio passar dois dias comigo, a semana passada e sempre foram mais facéis de passar, esses dias. Mas não pode ser sempre, não é, cada um tem a sua vida!
Vou tentar manter-me calma e não desesperar. Tenho que me lembrar que está tudo nas mãos de Deus. Tudo o que eu posso fazer é esperar!
Uma amiga disse-me, que se o nosso estado de espírito é tão importante, então devería a creditar piamente no positivo. No fim, se fosse negativo, não ficaria a pensar que o medo de acreditar e as cautelas na esperança, teriam prejudicado o desfecho mais desejado!
No próximo post, já terei novidades... Espero muito que sejam boas.
Despeço-me, até 3.ª feira.
Beijinhos grandes
P.S. O verde esperança continua...

Beijinhos grandes