22 fevereiro 2008

Infertilidade e outras coisas da vida



Nestas pausas entre tratamentos, tenho sido forçada a aprender a lidar com a espera. Se há virtude com que não fui dotada é a paciência e aliada à falta desta, vivo em constante estado de ansiedade e tensão. Não é que me aperceba disso especialmente nesta fase mas, tenho indícios físicos destas coisas. A tensão é tanta e acumula-se toda nas costas, conclusão não tenho trapézios (músculos!) tenho dois blocos de pedra no lugar destes!


Nestas fases de espera, tenho sempre a sensação que a minha vida tem sido vivida em função da infertilidade e dos tratamentos. Em nome da infertilidade tenho deixado de lado a minha vida à espera de poder vive-la, projectos à espera de tempo para serem concretizados, à espera do dinheiro que a infertilidade absorve e que não chega para tudo, à espera de melhor altura para viver.


A nossa vida como casal tem sido vivida nestes moldes. O prazer simples de partilhar a minha vida com o homem que amo é tantas vezes asfixiado pelos problemas!


Apercebo-me destas falhas na minha vida, precisamente nestas alturas em que não tenho planos concretos definidos, para um futuro próximo e só me resta esperar. Nestes momentos é que me apercebo do vazio em que vivo.


Em conversa com os colegas do serviço, falava-se do facto dos casais jovens viverem, aqueles que deveriam ser os melhores anos da vida em comum, a debater-se com dificuldades financeiras que surgem quando há hipotecas para pagar a casa e o carro, quando a estabilidade dos empregos e a segurança profissional estão em causa, como infelizmente é cada vez mais comum acontecer. Diziam elas, mulheres com filhos adultos jovens, que existem muitos casamentos jovens que acabam em divórcio, precisamente porque a pressão é tanta que, o amor não sobrevive aos problemas. E eu acrescento, a todos estes factores, quando se junta um problema como a infertilidade, os sentimentos que unem um casal têm mesmo que ser muito fortes porque, se não o são, é praticamente inevitável a ruptura.


Não quis deixar um discurso pessimista, é mais uma reflexão e um olhar para trás, no meu percurso de vida recente. Entretanto, continuo à espera de melhores dias...
Um beijinho grande
Lita
P. S. Hei-de cá vir deixar mais umas receitas que experimentei e foram aprovadíssimas!

11 fevereiro 2008

Troca de Presentes

No cantinho da minha homónima Lita, vi e aceitei este desafio:


TROCA DE PRESENTES
Então a coisa processa-se assim:
Eu aceitei o desafio da Lita (Cantinho da Lita) e vou receber um presente feito por ela. Simultaneamente, lanço aqui o desafio e, as 3 primeiras pessoas que o aceitarem receberão um presente feito por mim! Para isso, deixo o meu email cespiritosanto@sapo.pt para que deixem lá a vossa morada e o vosso nome, para eu poder enviar os presentes por correio.
Ainda não sei o que vou fazer mas, tentarei que seja original! As candidatas a presenteadas serão as 3 primeiras pessoas a comentar e que mostrem estar interessadas, claro!
Pretende-se com isto, criar uma cadeia de presentes. Espero que adiram à ideia mas, se não acharem graça, tudo bem na mesma!
Cá espero pelos interessados!
Um beijinho grande
Lita

01 fevereiro 2008

CARNAVAL E GULODICES!!!

Começa hoje a época de Carnaval. São uns dias que pessoalmente não aprecio, pelo que prefiro passá-los no descanso ou a fazer outra coisa qualquer mas, fugindo sempre às confusões e às multidões.

O pessoal cá da instituição é adepto ferranho do Carnaval, principalmente aqui no serviço onde estou. Organizaram um jantar e andam todos entusiasmados com as fatiotas para levar. Gostava de me conseguir divertir com estas coisas mas como isso não acontece, já nem sequer vou!

Ainda assim, este ano tenho um Carnaval ocupado sem gozar o Carnaval. Amanhã tenho visitas, daí ter pedido sugestões para a sobremesa. 2.ª feira a minha mãe faz 61 anos e 3.ª feira é a vez do meu mano chegar aos 26 aninhos de idade! O caçula já tem 26 anos!


Em relação às sobremesas, agradeço as sugestões e guardei-as para experimentar. Mas, optei por fazer uma tarte de requeijão e um bolo de chocolate, que não são muitos complicados. A tarte já fiz uma vez, é fácil de fazer e fica muito boa, para quem não gosta de sobremesas muito doces, o bolo de chocolate é uma receita nova que nunca fiz mas, já experimentei e é muito bom! O empadão de bacalhau costumo fazer e é uma delícia! Aqui vão as receitas para quem se quiser aventurar a experimentar.

Empadão de Bacalhau (para 4 pessoas)

Ingredientes:
3 postas de bacalhau
1 embalagem de puré congelado (o do Jumbo é bom e mais barato!)
1 cebola pequena
2 dentes de alho
2 colheres de sopa de farinha
½ lt. Leite
Azeite
Sal q. b.

Preparação:
Coze-se o bacalhau em água. Escorre-se, retira-se a pele e as espinhas e desfaz-se em lascas.
À parte, faz-se um refogado com a cebola e o alho picados, uma folha de louro e o azeite. Quando a cebola estiver transparente junta-se a farinha até engrumar. Junta-se o leite aos poucos e mexe-se bem até desfazer os grumos e obter uma mistura cremosa. Se o creme ficar grumoso, pode-se passar com a varinha mágica, retirando previamente a folha de louro. Tempera-se com sal (atenção que o bacalhau já tem sal!), pimenta e noz moscada.
Envolve-se as lascas de bacalhau no creme.
Numa caçarola de ir ao forno ou num pirex coloca-se a mistura do bacalhau e o puré por cima. Picela-se com gema de ovo batida e vai ao forno até que o ovo esteja douradinho.
Acompanha-se com uma boa salada verde ou legumes cozidos.


Tarte de Requeijão

Ingredientes:
1 base de massa folhada
2 requeijões
5 ovos inteiros
1 pacote de natas
125 gr. açúcar
Raspa de limão
1 colher de sopa rasa, de farinha

Confecção:
Estende-se a massa folhada na forma.
Mistura-se os dois requeijões com os ovos, o açúcar e a farinha e bate-se até incorporar. Junta-se o pacote de natas e bate-se mais um pouco. Junta-se as raspas do limão.
Verte-se na forma forrada com a massa folhada e leva-se ao forno, pré-aquecido a 180º e deixa-se cozer cerca de 30/40 minutos até a superfície ficar douradinha.

Bolo de Chocolate Húmido
Ingredientes
Bolo
6 ovos
400 gr açúcar
300 gr farinha
½ pacote de chocolate
1 colher chá de fermento
1 colher chá soda
200 ml óleo
200 ml água morna

Cobertura
1 pacote de natas
1 tablete de chocolate
1 colher de açúcar
1 colher de manteiga

Confecção:
Bolo
Batem-se as claras em castelo. Junta-se o açúcar, as gemas, o óleo e, por fim, a farinha com o chocolate. Junta-se o fermento e a soda alternados com a água morna.
Unta-se uma forma com manteiga, polvilha-se com farinha e vai ao forno a 180º. Quando estiver cozido, deixa-se arrefecer um pouco e desenforma-se.

Cobertura
Coloca-se os ingredientes no lume até derreterem. Barra-se o bolo com esta cobertura.


Espero ter aberto os apetites!

Deixo-vos com um beijinho grande e espero que tenham uns dias fantásticos, de descanso ou de arromba e folia!



Lita