28 abril 2006

Cá estamos, com mais um fim de semana à porta.
Este fim de semana estou cheiinha de vontade de não ficar por casa. Estou a pensar ir a Fátima.
O R. como é socorrista da Cruz Vermelha costuma tirar férias, para dar apoio no posto de apoio aos peregrinos de Fátima, em Maio. Este ano, como está envolvido na organização de um congresso de análises clínicas, que é profissão dele, não vai poder ir. Dá assitência aos peregrinos há 15 anos e anda-se a lamentar porque este ano não pode ir. Quando participa no apoio aos peregrinos, chega a casa completamente estafado, mas muito feliz. Vem com o espírito leve, muito emocionado porque vem com a sensação de dever cumprido.
Como este ano só pode estar no posto da Curia, e não pode ir a Fátima, lembrei-me de irmos até lá este fim de semana.
Eu também gosto de ir ao Santuário. Tenho sempre a sensação de que a minha fé se intensifica, se torna mais profunda, lá. Além da visita ao santuário, sempre podemos passear por outros sítios.
Ficar em casa é que não! Com a mudança de casa e tudo o que ainda precisamos para a mesma, não é a melhor altura para passeios nem para gastos destes, mas paciência porque ficar em casa também não contribui para a minha sanidade mental.
Um bom fim de semana e um bom dia do trabalhador, de preferência que não seja a trabalhar!
P.S. Vou rezar por todas nós,pedir à Nossa Senhora que ouça as nossas preces e nos conceda o nosso milagre. Em especial, vou rezar por ti Musa, para que continues a manter as tuas duas estrelinhas no teu "ninho".

27 abril 2006

Fases da vida, que nos perturbam

Hoje, tive um tempinho livre e vim a este cantinho partilhar umas palavras.
Têm sido uns dias assim, assim. Não posso dizer que ande feliz, mas também não ando triste. A Primavera é uma estação do ano que, normalmente, me afecta tanto positivamente como negativamente. Por um lado, a chegada do bom tempo, com o sol e o calor exercem sobre mim um efeito revigorante. Adoro a Primavera e é normal nos dias frios e chuvosos sentir-me mais em baixo. Por outro lado, julgo que é pelo facto de os dias clarearem mais cedo e por ser dia até mais tarde, habitualmente durmo muito mal nesta estação. Acordo a meio da noite, sonho muito coisas sem sentido nenhum e tenho dificuldade em ter um sono realmente repousante. O meu biorritmo fica completamente descompensado!
Este ano, talvez porque o meu sistema nervoso anda alterado há já muito tempo, ainda não senti os efeitos da Primavera, nem positivos, nem negativos. Apreciei o calor e o sol, mas a euforia habtual, essa não chegou.
Não paro de pensar nos exames, nos tratamentos, na FIV e em todas essas coisas. Não consigo tirar isto da cabeça!
O ano passado para tirar o assunto da cabeça, porque estava a sentir-me a enlouquecer, procura-mos um objectivo que fosse dos dois, e decidimos comprar casa, também porque viviamos numa casa alugada e acha-mos que era a altura certa. No regresso das férias, em Setembro fomos ver um apartamento em construção que nos deixou apaixonados. Bom, eu fiquei apaixonada à primeira vista, o R. foi-se apaixonando aos poucos. Depois de muitas voltas, burocracias lá assinamos o contrato de promessa de compra e venda em Novembro e aguardamos a escritura e a mudança para Maio, esperamos nós. O ap é lindo e como é um r/c tem 1 terraço e 1 jardim para poder apanhar ar. É a 1.ª vez que vou viver numa casa nova e é a NOSSA casa, ou ap. como queiram considerar. Mas, nem com a eminência da mudança, me consigo sentir realmente feliz!
Eu sou daquelas pessoas que vive as emoções com muita intensidade, para o bem e para o mal. Neste momento quase sinto apatia, indiferença em relação áquelas coisas que deveriam ser importantes na minha vida. Já não me conheço, as minhas reações para a vida não são próprias de mim mesma!
Chego à conclusão que existem períodos da nossa vida que nos tocam, que quando passam deixam a sua marca, modificam-nos e nem sempre para nos tornar pessoas melhores e mais felizes.

21 abril 2006

Peripécias...

Tive um início de semana que me deixou desaustinada mas, entretanto acalmei.
Na 6.ª feira Santa, pretendendo aproveitar o fim de semana prolongado, como já contei noutro post, fomos até Óbidos. Eu estava cheia de cólicas menstruais, mas tomei medicação e insisti em ir na mesma, apesar do R. achar que deveria ficar agarradinha à bolsa de água quente, deitada no sofá. Imaginem só, se eu ía desperdiçar um passeio só por causa das chatas das cólicas menstruais. Era o que faltava, pensei eu!
As celebrações da Páscoa são muito bonitas em Óbidos e sempre aproveitavamos para dar um passeio e arejar. Assim que chegámos, caiu um temporal que parecia que alguém estava a despejar-nos a lagoa de Óbidos em cima. Um pé de água impressionante. Tinhamos a intenção de passar lá a noite e no sábado, no regresso, passavamos por Fátima. Eu, que costumo ser prevenida, só levei uns sapatos porque achei que para dois dias serviam muito bem. Fiquei completamente alagada e o R. também. Ainda estive para ir comprar outros mas, depois pensei que seria um desperdício porque o tempo parecia não querer melhorar e optamos por regressar na própria 6.ª feira.
Apanhamos dois acidentes no caminho, o R. como também é bombeiro voluntário, faz sempre questão de intervir e ajudar. Lá tivemos que parar, mas penso que ninguém se magoou com gravidade. Para além disto tudo, choviam potes e picaretas, o caminho todo! Foi uma viagem para esquecer!
A Páscoa passou-se sem mais incidentes.
Na 2.ª feira fui ao Centro Hospitalar de Gaia fazer análises, porque segundo a Dr.ª tinha alterações (inversão hormonal) e ela achou que deveria repetir o estudo hormonal e fazer as análises pré-FIV, Bioquímicas e Hematologias. Não demorei muito e quando cheguei ao serviço tentei marcar, por telefone, a histeroscopia. Depois de 3 chamadas (10 min cada uma à espera que atendessem o telefone) falei com uma enfermeira que me disse que só fazem as histeroscopias à 3.ª feira e que como na próxima é feriado, estava azar! Uma notícia fantástica, não é??
Depois disto tudo, à tarde tive consulta na dentista. Como forma de me preparar para uma possível gravidez, tenho feito uma série de tratamentos dentários, porque as grávidas, quando não têm os dentes bem tratados, têm dores terríveis na gravidez e a própria gravidez debilita os dentes. Isto também é para me convencer que estou a fazer algo activamente para contribuir para a minha, tão ansiada gravidez! Mas a propósito da ida à dentista, tratou-me o dente e nem sabem o que me aconteceu! Quando limpam uma cárie, os dentistas colocam um ácido antes de taparem o buraco com a massa ou o chumbo. Sem ela se aperceber, esse ácido escorreu pelo aspirador para a minha face, resultado: uma queimadura! Comecei por sentir a pele a arder mas, pensei que fosse o aspirador que estivesse a trilhar a pele e não valorizei. Quando saí do consultório e cheguei ao carro, a cara continuava a arder, cada vez mais. Toquei na face e estava com um papo, inchada. Quando vi ao espelho tinha a pele arrepanhada. Julguei que fosse alguma coisa que tivesse colado, porque esse ácido era um gel. Esfreguei e arranquei pele. Não é uma extensão muito grande, mas é na cara +/- 1cm2. Fiquei mesmo em carne viva, já viram a minha vida!? Não fui lá reclamar porque como não tinha dito nada quando lá estive não me pareceu que valesse de nada, o mal já estava feito! Mas em Maio, quando lá voltar vou-lhe dizer. Vou ficar com uma marca no rosto!
Enfim, como podem ver foram uns dias cheios e nem sempre de coisas agradáveis...
Deixo um beijinho para todas as meninas que me visitaram e em especial para a Musa, que está a viver um período muito importante da vida dela. Continuo a torcer muito, muito por ti!
Desejo-vos um bom fim de semana, espero que, com sol.
Beijinhos

17 abril 2006

Realmente, ser obrigado a depender de Hospitais públicos neste país é um infortúnio!
Vinha com indicação da minha médica para fazer a histeroscopia em Abril. Hoje, como tinha que repetir as análises fui ao Hospital, fiz as análises e vim trabalhar. Cheguei ao serviço e liguei para lá para marcar a histeroscopia. Pareceu-me mais simples ligar do que ir lá, apesar de ter ido ao Hospital, primeiro porque estava cheia de pressa e depois porque indicaram-me um número de telefone e uma extensão e sempre é mais rápido do que andar por lá, à procura do serviço. Liguei três vezes até que alguém me atendesse e quando finalmente alguém atendeu, foi para me dizer que não posso fazer o exame este mês, porque só fazem à terça feira e na próxima, é feriado. Ora, se o exame só pode ser feito entre o 6.º e o 10.º dia do ciclo, e só fazem exames à terça feira, às tantas vou andar meses até que os dias do meu ciclo coincidam com as disponibilidades do Hospital! Não acham isto um absurdo? Um exame com estas características não deveria ser feito pelo menos, duas vezes por semana?
Realmente, quem diz que dinheiro não traz felicidade, tem muito e não sofre de esterilidade!!
Tanta ansiedade, tanto nervosismo para nada. Tenho mais um mês de angústia pela frente...

Desculpem lá estes desabafos, mas eu vinha mesmo intalada...

14 abril 2006

Uma Páscoa muito feliz...

Pois é, aproveitamos estes diazitos e viemos dar uma voltinha. Estou em Óbidos e quando passei pelo espaço net cá da vila, não resisti e vim espreitar o meu cantinho.
Quero deixar um grande beijinho às meninas que me deixaram as suas mensagens e agradecer pelas mesmas. São umas queridas!

Deixo também os votos de uma PÁSCOA MUITO, MUITO FELIZ para todos. Espero que o coelhinho deixe uns ovitos muito férteis para todas.

P.S. A minha histeroscopia será entre 4.ª e 6.ª feira que vem, fiquei a saber hoje com aquela visitinha... Mas, prometi a mim mesma não me preocupar com isso, pelo menos até 2.º feira, quando a vidinha voltar à rotinha do costume.

UMA PÁSCOA CHEIA DE COISAS BOAS

10 abril 2006

Ai angústia, angústia ...

Pois é, um novo ciclo aproxima-se, devo menstruar no próximo fim de semana e o dia D também se aproxima. Estou cada vez mais nervosa com a proximidade do dia D = dia da HISTEROSCOPIA. Estou muito apreensiva, não em fazer o exame, mas no resultado do dito. Estaria a mentir se disse-se que não tenho medito de passar pela Histeroscopia. Um medito piegas mas, o MEDO maior é do resultado do exame. Tenho lido muitos testemunhos e começo a chegar a conclusões, se calhar precipitadas, que me têm tirado o sono. Os meus sintomas de dismenorreia , os spots pré-menstruais, as dores no peito, desde a ovulação até à menstruação, muito mais acentuadas, de há um ano e pouco para cá... Isto tudo, juntamente com testemunhos que tenho lido por aqui, têm-me deixado com os nervos à flor da pele. Sempre fui muito cuidadosa com a minha saúde. Desde os 20 anos que faço consultas ginecologia, de rotina. Todos os anos faço consulta, citologia de papanicoulau e ecografia e sempre esteve tudo bem. Nunca tive alterações, mas com a aproximidade da histeroscopia ando cheia de “macaquinos no sotão”.

Acho que estou a ficar hipocondríaca!!

Se conseguir passar por mais esta provação, em Junho vamos programar o nosso 1.º e espero que, único tratamento. Fomos propostos para FIV com micro-injecção, porque, segundo o andrologista, no nosso caso, os outros métodos seriam uma perda de tempo.

Às meninas que andam nas consultas de esterilidade do Centro Hospitalar de Gaia, que já fizeram a HISTEROSCOPIA, digam-me, o médico dá logo o resultado? Como é que correu o exame? Vão-me fazer aguentar esta tormenta até à consulta de Junho?

Fico muito grata pela paciência, de aturarem as minhas angústias...

Beijinhos

07 abril 2006

Desejo um bom fim de semana a todos os que visitarem este cantinho, aproveitem porque parece que vem aí um dia de sol, pelo menos no sábado.

Beijinhos

06 abril 2006

“Há duas formas de viver a vida. Uma é acreditar que não existem milagres, outra é acreditar que todas as coisas são um milagre”
Albert Einstein

Ontem tive visitas para o jantar. Uma das coisas que mais gosto é de receber a família e os amigos em minha casa. São oportunidades de conviver e de estar com as pessoas que mais gosto e, penso que a vida é tão incerta e imprevisível, que devemos partilhar com os que mais amamos, todos os momentos que podemos.
São oportunidades de ir para a cozinha e inventar. Uma das melhores terapias, para mim, é poder dar largas à imaginação e elaborar pratos e doçarias diferentes. Ultimamente, voltei-me mais para a cozinha vegetariana e descobri ingredientes novos e cheios de potenciais. Fiz uma lasanha de seitan, cogumelos e espinafres, que toda a gente gostou. Fiquei orgulhosa porque, na família, mais ninguém se atreve muito para os lados do vegetarianismo e eu pelo contrário, gosto de inovar. E gosto ainda mais, quando gostam dos meus pratos alternativos.
A culinária é uma forma de poder usar a minha criatividade e de a poder usar para algo útil, que os outros apreciam. Isto é, que apreciam quase sempre! Às vezes lá calha alguma coisa esturricada, insossa, salgada e outras avarias!
Ontem correu muito bem e já ando a pensar nas iguarias para a Páscoa...

03 abril 2006

"O mundo é dos optimistas, os pessimistas são meros expectadores"

Li este pensamento há muitos anos atrás e, desde essa altura que procuro fazer dê-le, o meu lema de vida. Não porque seja muito optimista, mas porque tento recordá-lo para não ser tão pessimista.
É um pensamento muito certo e adequado para uma segunda-feira.
Neste momento da minha vida,tenho que apelar a toda a reserva de optismismo e de energia positiva. Aguentar mais umas semanas para a famigerada histeroscopia e rezar muito para que tudo esteja bem comigo e para que, em Junho possamos finalmente programar a nossa FIV.
Por vezes, dou largas ao meu pessimismo e voão pela minha cabeça os "... e se ..." corre mal, me detectam algum problema, não prodemos programar o ciclo de ttt.
Tenho que tentar acalmar a minha ansiedade porque senão desaparafuso de vez!!