31 maio 2006

Tristeza

Hoje, no hospital onde trabalho - HOSPITAL SÃO MIGUEL, Oliveira de Azeméis - fecha a maternidade. Tudo quanto é comunicação social, RTP, SIC, TVI, rádios, param por aqui.
É muito triste, depois de uma vida de trabalho, ver desaparecer uma parte da instituição que sempre foi importante para o hospital e para a população.
Anda toda a gente a chorar (literalmente) pelos cantos. Está instalado um clima de tristeza e de insegurança. Pessoas com cinquenta e tal anos de idade e trinta e tal anos de serviço deixaram de ter um posto de trabalho e não há nenhum hospital que as queira, porque agora querem é pessoas novas e com contratos, não querem ninguém com vínculo à função pública.
É triste ser regeitado como uma coisa qualquer, depois de uma vida dedicada a uma instituição e a uma profissão.
Não consigo dizer nada de mais positivo hoje. Desculpem.

29 maio 2006

Mais uma semana pela frente e já é para a semana que vamos programar a ISCI!
Já começo a ficar nervosa, ou melhor, apreensiva com a aproximação do dia 7. Estou a pensar que vamos chegar à consulta e que vai acontecer qualquer coisa e nos vão adiar o tratamento. Eu sou assim, não consigo confiar na boa sorte, tenho sempre o pé atrás, defeito meu?!
Mas esta aventura toda, serviu para me mostrar que existe muita gente que me apoia e que me dá força para continuar. Ao contrário do que por vezes se ouve falar, tenho uma chefe 5 estrelas, que nunca me colocou 1 entrave, nem me disse que não queria que faltasse. Já têm sido várias as vezes que me ausento do serviço, (o Centro Hospitalar de Gaia fica a +/- 45 km do hospital onde trabalho O. Azeméis) e ela está sempre disponível, por vezes, quando perco 2 ou 3 horas nunca me exigiu contas desse tempo. Ela também sabe que estou sempre disponível para tudo o que ela precisa, conta sempre comigo para tudo! Até o Conselho de Administração, pessoas com quem trabalho directamente, compreendeu e não levantou ondas. Confesso que me custou muito falar do meu problema no trabalho, porque sou uma pessoa reserva. Mas, como era suposto eu ficar a substituir uma colega no período de férias, que trabalha no atendimento ao público, como já é habitual nos últimos anos, e este ano o verão é uma incógnita para mim, achei mais honesto falar abertamente, do que não dizer nada e depois, ela ser chamada e estragar-lhe as férias. E tudo isto deixou-me agradavelmente surpreendida, pois ao contrário do que eu esperava, não que me colocassem objecções às faltas, mas que houvesse muitos problemas para resolver a situação, isso não aconteceu. Foi tudo pacífico!
Por outro lado, temos contado com o apoio da nossa família. A minha mãe já sabia do nosso problema desde o início, mas o meu pai não. Ficou a saber que sofremos de infertilidade quando lhe pedi que nos acompanhasse, para eu fazer a Histeroscopia. Reagiu muito bem, talvez tenha ficado a pensar nisso sem dizer nada, mas deu-me logo força e coragem, para ter esperança.
E claro, não posso deixar de incluir na lista de apoiantes, as companheiras de luta e de sonhos, com quem tenho trocado posts e comentários na blogosfera, a minha amiga de coração (já nos conhecemos dos tempos da escolinha e ela conhece-me muito bem e aos meus devaneios, não é mori?!) e a todas as outras pessoas, que eu não menciono mas que estão no meu coração e a quem tenho um agradecimento eterno pela força que me dão!
Mesmo que toda esta aventura não tenha o desfecho que tanto queremos e esperamos (o diabo seja surdo, cego e mudo!!!), tudo isto serviu para me demonstrar que tenho muitos amigos!
Deixo beijinhos grandes à Musa descansa muito e espero que continue a correr tudo bem com as tuas sementinhas e à Ana Rita espero que estejas bem, apesar da tua ausência.
Beijinhos a todos
P.S. - O Mercado à Moda Antiga foi engraçado, mas teria sido muito melhor com menos 10 graus de temperatura.

26 maio 2006

Mercado à Moda Antiga

Para quem gosta destas coisas, este fim de semana, em Oliveira de Azeméis ( minha santa terrinha), que é um concelho do distrito de Aveiro, organiza-se o Mercado à Moda Antiga.
É uma iniciativa engraçada.
Visitem!

Beijinhos e divirtam-se!!

25 maio 2006

Fim de semana

É quase, quase fim de semana!
Está um tempo muito bom e vai continuar a aquecer! Tudo muito propício para passear ao ar livre e para aproveitar.
O que é que hei-de fazer, estou assim, com o espírito up!! Apetece-me sair e caminhar, fazer um pic-nic, aproveitar a primavera. Aproveitem também!

Fico a aguardar notícias tuas, com muita esperança que sejam positivas!

Beijinhos

22 maio 2006

Mais uma etapa vencida

Na 6.ª feira às 09:50h estava eu pronta e nervosíssima, nos C. H. Gaia para fazer a histeroscopia. Tremia como varas verdes e estava num tal estado de nervos que nem me aguentava. Chamaram-me pelas 10:50h, o exame demorou 20 a 25 min. No início não custou quase nada. Nos últimos 5 min. é que me custou um bocadito (um bocadito é favor, custou um bocadão!). Entretanto a Dr.ª disse-me que o meu útero tinha uma alteração, mas que considerava que não precisava de correcção e como tal, vamos mesmo programar o ciclo para a ISCI.
Quando ela me disse que não havia alterações que impedissem a programação da ISCI, senti um alívio!
Andei o resto do dia com um ligeiro incómodo que não chegava a ser dor, era mais uma sensação de peso. Depois do exame fiz a minha vida toda normalmente, inclusivé conduzir, apesar de o meu pai ter ido connosco, uma vez que o R. não conduz, fui eu que trouxe o carro.
Depois do exame, não senti dores, nem mal estar, nem tonturas, só senti um enorme alívio!!
Mais uma etapa vencida!
Agora falta a consulta de psicologia e no dia 7 de Junho vamos ter consulta para programar o ciclo para a ISCI.
Obrigado a todas as queridas que passaram pelo meu cantinho e me deixaram palavras de encorajamento. Um grande beijinho a todas!

16 maio 2006

Nervoso Miudinho

Com a aproximação do dia do exame começa a chegar o nervoso miudinho...
Será que o exame vai custar? Será que o resultado vai ser positivo? Será que vou poder programar a ISCI em Junho, como tanto anseio?
Meu Deus, vela por nós. Ajuda-nos a ultrapassar mais esta etapa e guia-nos nesta fase tão difícil. Concede-nos o privilégio de sermos pais. Dá-nos forças e esperança para continuar esta luta. Faz de nós uma família completa. Concede-nos o fruto do nosso amor.

11 maio 2006

FINALMENTE ...
consegui marcar a histeroscopia. Menstruei hoje e já liguei para o hospital. Parece que agora já têm 2 histeroscópios, graças a Deus! Vou fazer o exame dia 19, de amanhã a oito dias. Veremos como corre, mas pelo menos consegui marcá-lo. Já é um passo. Agora é uma semanita de ansiedade...

09 maio 2006

Ontem tive duas notícias que me tocaram muito.
Uma, fantástica, o positivo da Musa, notícia aguardada ansiosamente por todas nós.
Outra, muito triste e preocupante. Fiquei a saber que uma colega (outrora amiga que, sem qualquer explicação se afastou, deixou de atender o telefone e de responder às minhas mensagens ) está com graves problemas famíliares e financeiros, ao ponto de lhe ter sido apreendido o carro que deixou de conseguir pagar, de ter as prestações da casa por pagar há meses e, de ter sido, fiadora do namorado (que é o causador de toda esta tragédia) e ter também a casa dele com prestações atrasadas ao banco. Fiquei chocadíssima! Como é que uma pessoa pode chegar a isto, quando tinha um emprego estável, uma família que, mais ou menos, a apoiava e amigos que estavam presentes e disponíveis e que ela simplesmente, possou a ignorar tudo isso. Ela é uma pessoa inteligente, que sempre me pareceu ter um projecto de vida e bastou envolver-se com um indivíduo que tem um poder de ludibriação espantoso para deitar ao lixo a vida dela. Depois de tudo, ela ainda não o consegue ver como ele é. Para ela, ele continua intocável. É o mundo inteiro contra ele e ela só aceita as balelas que ele diz, não ouve mais ninguém! Para mim, o mais crítico de tudo, é que ela afastou-se não só de mim, mas pelo que percebi, de todas as pessoas que lhe querem bem, até dos pais. Já tentei ligar-lhe novamente e nada, o telemóvel toca até ir para mensagem. Deixei-lhe mensagem e nada. Tenho muito receio daquilo que ela possa fazer, que cometa alguma loucura de que não tenha tempo de se arrepender. Ela é uma pessoa emocionalmente muito instável, tem tido várias depressões.
Sinto-me um pouco culpada do nosso afastamento, porque talvez pudesse ter insistido mais quando tudo começou, talvez devesse tê-la procurado pessoalmente. O problema disto tudo é que casei em 2003 e vivo a 40Km de distância da nossa cidade natal e o contacto pessoal ficou mais limitado.
Espero, apreensiva por notícias, embora tenha muito receio das mesmas. Só peço a Deus que a guie e não a deixe cometer nenhuma loucura!

08 maio 2006

Tenho andado ocupadita por aqui. Na semana passada estive num congresso e hoje o trabalho chega-me ao nariz!
Amanhã terei mais tempo para "conversar" mas não quero deixar de enviar à Musa, mais uma vez, muitos, muitos parabéns. Deve ter sido muito especial o teu 1.º dia da Mãe. Pensa que para o próximo dia da Mãe, já terás a(s) tua estrelinha(s) nos teus braços. Mais uma vez muitos parabéns.
Beijinhos