23 setembro 2009

28 semanas e um dia

Já atingimos os 7 mesitos de gravidez! Apesar da paragem forçada, devo confessar que o tempo tem passado muito rápido. De repente, estamos a cerca de dois meses de conhecer a nossa princesa!

Ora vejam lá o barrigão, não sei como não estou mais pesada!?


Por esta altura já ela descobriu que a mãe tem costelas e passa a vida aos socos e aos pontapés! Só não tem muita graça quando fico tão comprimida, que mal consigo respirar mas, faz parte dos encantos da maternidade! Acho tanta piada quando estou deitada e a barriga parece ter vida própria, mexe por todo o lado! Uma delícia!

Ontem, precisamente às 28 semanas, tivemos consulta com a nossa Obstetra e, até fiquei contente! Apesar de a placenta continuar muito baixa, nem tudo são más notícias! O meu peso está óptimo, tenho neste momento, mais 800 gr do que tinha quando engravidei. Claro que perdi 3 quilos mas, contas bem feitas acabei por aumentar, às 28 semanas, 3,800 quilos! Para quem, como eu, leva a vida numa batalha contra o peso não está nada mal! Sempre imaginei que engordaria imenso na gravidez!

À parte o peso, tudo o resto está ok. Tenho autorização para, progressivamente, ir aliviando um pouco as restrições à minha actividade. Claro que continuará a ser uma gravidez de risco até ao fim mas, não ter que estar sempre fechada em casa, já é óptimo! Nesta fase já sinto alguns daqueles incómodos típicos, mãos e articulações mais inchadas e doridas, tornozelos mais sensíveis, já não aguento estar de pé muito tempo, uma azia terrível que me deixou a garganta ferida e a doer. Mas, tudo isto, faz parte dos encantos da gravidez, tento contornar e aguentar!

Este sábado dei uma facadita no repouso e fomos comprar os móveis da bebé. Uma parte já está em casa, devidamente montada mas, ainda falta outra parte. Também falta pintar o quarto e as decorações finais, como cortinados, tapetes e bonecos! O enxoval propriamente dito tal como roupas, roupas de cama e alguns artigos de puericultura também já estão comprados, apesar de ainda faltarem algumas coisas. Nunca imaginei que um recém nascido precisasse de tanta coisa! Às vezes, pergunto-me como é que nos criaram, noutros tempos?! Agora existe uma diversidade de oferta que, para papás inexperientes, como nós, torna-se difícil distinguir o necessário do supérfluo. Precisamos mesmo de ponderar e ir às compras para ela, com lista e objectivos definidos porque senão, acabamos por nos deixar levar pelo entusiasmo e não há carteira que resista!

Nesta vidinha de reclusão, tenho sentido uma enorme necessidade de ser a mesma de antes, de me poder mimar um bocadinho! Cabeleireiro, manicura essas coisas que ajudam uma mulher a sentir-se melhor e mais feminina. Sempre metida em casa começo a sentir-me uma verdadeira gata borralheira e detesto, porque eu não sou assim! Esta semana e na próxima vou-me dedicar a estes pequenos luxos! Lá porque estou grávida, também mereço! Além disso, também tenho que começar a preparar a mala para a maternidade. As roupinhas dela estão quase todas prontas mas, as coisas de que eu preciso, ainda não tenho nada!

Estas são as novidades que temos para vocês.
Uma beijoca grande e até breve!

Lita

10 setembro 2009

26 semanas e 2 dias

Na semana passada fizemos mais uma ecografia para verificar a evolução da placenta. Infelizmente, a evolução não foi nada positiva e continua muito baixa, com a inserção do cordão a menos de 2 cm do colo. Tinha esperança que tivesse evoluido e ainda pudesse ter um parto normal mas, parece que o diagnóstico de placenta prévia é definitivo e estou condenada a uma cesariana!
Nestes dias que passaram celebramos mais um aniversário de casamento, o 6.º! Ao contrário do ano passado, que pudemos celebrar a data da nossa união com um passeio este ano, dadas as circunstâncias apenas almoçamos e demos um passeio curtinho, aqui ao pé de casa. Fomos conhecer um restaurante japonês que abriu recentemente na nossa cidade. Gostei imenso! Se Deus quiser, para o ano, celebramos o 7.º aniversário a 3!
Por estes dias, fiz análises e o despiste da diabetes gestacional com a prova de O'Sullivan e fiquei descansada porque, pelo menos desse mal, não sofro! Para a próxima semana, devo ter consulta. Acho que vou fazer uma lista de questões para colocar à minha obstetra, entre outras, o que acha da verdadeira utilidade da recolha do sangue do cordão?, posso ou não realizar a cesariana com epidural, de acordo com a dose de anticoagulante que faço? posso amamentar, uma vez que tenho que continuar a fazer anticoagulantes injectáveis até às 6 semanas pós-parto?
Confesso que, fiquei decepcionada com o facto de ter que fazer cesariana programada às 38 semanas (se tudo correr bem até lá, claro!). Depois de tudo, queria muito ter um parto normal, ainda que tivesse que recorrer à bendita epidural! Gostaria de ter uma participação activa e consciente no nascimento da Matilde! Mas, com a placenta prévia está completamente colocada de lado essa hipótese!
Outra questão que me tem deixado preocupada é o facto de haver a possibilidade de não poder amamentar, por causa dos anticoagulantes! Esta questão é realmente importante para mim e, se também não puder amamentar vou ficar mesmo triste! Eu sei que há alternativa e é evidente que não quero colocar a saúde da minha bebé em risco mas, mais do que o parto normal, a amamentação para mim é muito importante! Durante estes anos que lutamos tanto por um filho, sempre que sonhava que era mãe, nunca me vi grávida mas sim, a amamentar! Tive vários sonhos (a dormir!) em que estava a amamentar!
Quem nos "ler" e tiver uma opinião informada acerca das questões que coloquei, sinta-se à vontade para opinar! Às mamãs de Aveiro e arredores, também peço recomendações de bons pediatras. Agradeço desde já, as dicas.
Ontem fomos comprar as tintas para o quarto da bebé. Dois tons de rosa, apesar de ser uma cor que nem eu nem o papá apreciamos muito! Mas, misturam-se verdes e lilases ao rosa e até fica giro! Quando ficar pronto mostro aqui! O enxoval também está a ficar composto! Vai ser uma peneirosa!
A foto da barriga fica para outro dia!
Deixo-vos um beijinho grande.
Lita